Praça Mauá

A Praça Mauá marca o início da Avenida Rio Branco e também da Região Portuária. A partir de 1910, com a inauguração do Porto do Rio, foi um importante ponto de recepção dos navios que traziam mercadorias e turistas à cidade.

Cais do Valongo

Construído no final do século XVIII, está localizado na região conhecida como Pequena África, que fica na zona portuária do Rio, no centro da cidade. Além de ter sido porta de entrada de milhões de africanos no Brasil, a região portuária foi também o ponto de encontro da comunidade negra na então capital. Foi nessa mesma área central da cidade que o samba foi sendo lapidado até se transformar no gênero musical conhecido hoje.

Morro do Castelo

O Morro do Castelo, ficava localizado junto às águas da baía de Guanabara bem no centro da cidade. Após a expulsão dos franceses e morte de seu fundador Estácio de Sá em 1567, seu tio Men de Sá transfere o pequeno povoado da cidade de São Sebastião do Rio de janeiro do seu sítio inicial, entre os morros Cara de cão e Pão de Açúcar, para o alto do Morro do Castelo.

Roda de Samba na Pedra do Sal

A Pedra do Sal, no Morro da Conceição, faz parte da região conhecida historicamente por "Pequena África", que se estendia do entorno da Praça Mauá até a Cidade Nova. Nas festas nas casas de escravos e forrós tocava-se o choro com flauta, cavaquinho e violão. No quintal, acontecia o samba rural, batido na palma da mão, no pandeiro, no prato-e-faca; e dançado com sapateados, peneiradas e umbigadas. Foi ali que nasceu o samba urbano carioca, que surgiram sambistas populares e antigos ranchos carnavalescos.

Jardim Suspenso do Valongo

Construído no início do século XX, o espaço foi projetado pelo arquiteto-paisagista Luis Rey e inaugurado em 1906. Construído nos moldes dos parques franceses do século XIX. Réplicas das estátuas dos Deuses Minerva, Marte, Ceres e Mercúrio, que antes adornavam o Cais da Imperatriz, estão expostas no jardim. o Jardim Suspenso do Valongo integra o Circuito Histórico da Celebração da Herança Africana.